sábado, 8 de outubro de 2011

Grupo de Escoteiros do Mar Velho Lobo

Diário de Bordo em 07 de outubro de 2011
(A bordo da Odyssey - Lat -23°54'0,3204"S; Lon -46°11'28,928"W)

Depois de muita pesquisa atrás de um nome que desse a devida representatividade a um Grupo de Escoteiros do Mar (GEMAR) cheguei a conclusão - depois de consultar as bases, sobre um nome que se adequa ao propósito fortemente.

Assim, com uma singela homenagem a um ilustre personagem de nossa história contemporânea, desejo prestar uma pleito de gratidão à:

Benjamin de Almeida Sodré, o Velho Lobo

Benjamin de Almeida Sodré (Mecejana, CE, 10 de abril de 1892 — Rio de Janeiro, 1 de fevereiro de 1982) foi um escoteiro em todos os sentidos da palavra e um entusiasta defensor do Movimento. Era conhecido desde menino como "Mimi Sodré" e dos tempos à serviço da Marinha de Guerra do Brasil e pelos escoteiros como Velho Lobo.



Filho de Lauro Nina Sodré e Silva e que mais tarde se tornaria um personagem muito importante na história do Escotismo brasileiro. Curiosamente, Benjamin Sodré, que mais tarde seria conhecido pelos escoteiros como "O Velho Lobo", teve em sua vida muitas passagens e características semelhantes às de Robert Baden-Powell.

Ainda criança mudou-se para o Rio de Janeiro e depois de terminar seus estudos secundários prestou concurso para admissão na Escola Naval sendo aprovado em primeiro lugar. Fez brilhante carreira na Marinha Brasileira, sobrevivendo ao naufrágio do rebocador Guarany, em 1913 e chefiando a Comissão Naval Brasileira durante a II Guerra Mundial. Tornou-se almirante em 1954.

O Velho Lobo, assim como o fundador Baden-Powell, tinha uma série de talentos e interesses diferentes. Foi professor de astronomia, navegação e história da Escola Naval, publicou diversos trabalhos, foi maçom e sobretudo um excelente jogador de futebol, ponta esquerda do time do América-RJ, do Botafogo e da Seleção Brasileira de Futebol entre 1910 e 1916.

Desde que entrou em contato com o Movimento Escoteiro tornou-se um grande seguidor dos ideais de Baden-Powell, participando da fundação e organização dos Escoteiros do Mar, o primeiro Grupo Escoteiro de Belém, a Federação de Escoteiros paranaenses, entre outros. Escreveu o "Guia do Escoteiro" de 1925, uma das mais importantes obras do Escotismo brasileiro.

Os escoteiros do Brasil nesse período eram divididos em diversas federações e não constituíam uma unidade central. Desta forma, O Velho Lobo teve papel fundamental na idealização e criação da União dos Escoteiros do Brasil, a UEB, reunindo as quatro primeiras federações (a Federação de Escoteiros Católicos do Brasil, Federação Brasileira de Escoteiros do Mar, Federação dos Escoteiros do Brasil e Federação Fluminense de Escoteiros).

Foi honrado com uma série de títulos, entre eles o de Cidadão Honorário do Rio de Janeiro e outros Estados e medalhas de mérito, presidindo a Ordem do Tapir de Prata, a mais alta condecoração do Escotismo brasileiro.

Faleceu em 1 de fevereiro de 1982, pouco mais de dois meses antes de completar 90 anos. Atualmente vários Grupos Escoteiros, ruas e espaços municipais levam o nome de Almirante Benjamin Sodré, em sua homenagem. Os Escoteiros do Brasil que completam 50 anos de bons serviços para a instituição são reconhecidos com a "Medalha Velho Lobo", em referência e homenagem a Benjamim Sodré.

Nosso convencimento

Assim, buscando agregar pontos de convergência ao nome do GEMAR, que possa ao mesmo tempo prestar um pleito de gratidão pela sua árdua luta de defesa e de consolidação do Movimento Escoteiro e não menos pela sua vida dedicada à Pátria, decidimos nomear o Grupo como "GRUPO DE ESCOTEIROS DO MAR VELHO LOBO". O termo além da já mencionada homenagem, está ligado à vida ao mar, o que orienta os esforços de um GEMAR mas também trás facilidade de identificação pelos jovens e crianças que comporão o grupo, quer seja pela facilidade no falar como na criação do gritos de guerra do grupo, possibilitando uma enormidade de oportunidades de nomes das tropas e das patrulhas.

Velho Lobo é um termo que também tem ligação com a estória de criação dos Lobinhos (estória de Mowgli, o menino Lobo) e remete para os escoteiros a presença de um líder. O Velho Lobo pode ser tanto um velho capitão (como no caso de Benjamin Sodré) que conhece como poucos as 'coisas do mar', mas também o Chefe Escoteiro em sua função de orientar e conduzir os jovens nessa grande aventura que se chama vida.

Pode ser também o(a) Akelá da Alcatéia gerando no imaginário dos pequenos Lobinhos toda fantasia necessária ao seu crescimento físico e espiritual que o acompanhará pela vida toda.

Então, com o nome definido, me despeço, desejando uma...

Boa navegação a todos!

Capitão Gutemberg.
Comandante da Embarcação Odyssey.







Velho Lobo é uma terminologia oferecida aos grandes navegadores e homens do mar,tal qual Lobo do Mar. Em sua história, o Almirante Benjamin Sodré soube como poucos merecer tal distinção.

Sua história