quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Roteiro da Viagem no Google Earth

Diário de Bordo em 18 de novembro de 2009


Hoje finalmente consegui terminar a medição do roteiro que realizamos. Percorremos exatas 371,96 MN (Milhas Náuticas) e 688,88 Km em sete dias com um total aproximado de 25 h 20 m, com um consumo de 1.735,81 litros de diesel o que custou aproximadamente R$ 600,00/dia em combustível.


Impressiona!


Abaixo as imagens do GoogleEarth:


Imagem 01: Marina TCHABUM. É ponto de início e fim de toda nossa jornada. Fica no Canal de Bertioga na Ilha de Santo Amaro, onde está a cidade de Guarujá.
Imagem 02: Canal de Bertioga. Nesse canal navega-se aproximadamente 8 Km da Marina Tchabum até sua boca, onde fica o Forte São João.

Imagem 03: Foz do Canal de Bertioga. Saíndo para o mar. Em sua margem esquerda (BB) fica o Forte São João. Historidores o declaram o mais antigo do Brasil. Dali saíram as caravelas que foram fundar a cidade do Rio de Janeiro. Hoje, aberto a visitação, abriga um museu muito interessante, que vale a pena ser visitado.

Imagem 04: Ilha Montão de Trigo. Fica a 2/3 do caminho até Ilhabela e é imperdível em um cruzeiro. Em sua parte interna abriga uma pequena vila de pescadores, que habitam dentro de um pequeníssimo bosque de coqueiros e árvores nativas, que lhes servem de abrigo contra o vento e o sol.

Imagem 05: Ilha Toque-toque Grande. Fica na entrada Sul do Canal de São Sebastião - Ilhabela. Em seu lado externo fica um farol. É sempre significativo passarmos por ele. Na ida porque estamos chegando a bela Ilhabela e na volta por que saímos de águas abrigadas a caminho de casa.

Imagem 06: Ponta Norte de Ilhabela. A caminho de Ilha Anchieta e de um sonho. Um dia irei passar ali a caminho do Caribe.

Imagem 07: Ilha Anchieta a direita e a esquerda o Saco da Ribeira. As inúmeras passadas da rota por lá deve-se ao fato de ser local de abastecimento e abrigo. Dormimos a primeira noite no Saco das Palmas, bem próximo do antigo presídio.

Imagem 08: Famosa, temida, respeitada e linda Ponta da Joatinga. Entramos no Estado do RJ. Considerado o Cabo Horn brasileiro, até a Marinha orienta contorná-lo a distância em casos de mar crespo. Ali se contrapõem duas correntes que agravadas pelo vento chocam as ondas contra as rochas da Joatinga, criando um refluxo de maré que faz crescer a ondas e impacta a estabilidade das embarcações criando riscos de naufrágios. Estórias e histórias existem aos montes.
Imagem 09: Cidade de Angra dos Reis. Especificamente a Marina Piratas. Reabastecemos ai.


Imagem 10: Saco do Céu na Ilha Grande. Passamos nossa segunda noite ai. Lugar maravilhoso. Não deve ser preterido em seus passeios. Em noites claras, as estrelas refletem nas águas tranquilas do Saco, dando seu nome.


Imagem 11: Ilha da Cotia. Dormimos três noites ai. Um paraíso. Não há insetos, a água é parada e quente, critalina, abrigada, perto de um monte de opções. Gostamos demais desse lugar. Realizei um sonho indo até ai.


Imagem 12: Cidade de Paraty. Águas de grandes navegadores. Outro sonho realizado ao ir até lá navegando. Chegamos navegando, ancoramos e desembarcamos para compras na cidade Velha. Lindo. Estão restaurando diversos casarões e estão ficando lindos. Ali sempre se vê navegadores de outros países em passagem. Dessa vez havia um veleiro espanhol, outro frances e um barco de Campinas...rs.

Imagem 13: Saco do Mamanguá em Paraty, pertinho da Ilha da Cotia. Considerado o fiorde brasileiro, graças a seu aspecto de um grade canal encravado entre montanhas, como os famosos fiordes noruegueses. Possue 8 Km de extensão por quase 2 Km de largura. Possue muitas pedras e sua profundidade varia bastante, principalmente na parte final. Veja o local onde demos a volta. Ali a profundidade era de 2,10 m. Outro sonho realizado. Vale a pena conhecer. Lindo! mas fique atento ao GPS e a sonda...

Imagem 14: Saco da Capela - Pindá em Ilhabela. Paramos para um pernoite já na volta. Pernoitamos ai de quinta para sexta. Propicia uma caminhada até a Vila de ILhabela onde há inúmeras opções de restaurantes, compras, cafés e livrarias. Neste momento estão reformando o Cais turístico para a temporada de cruzeiros, que começa em dezembro.

Imagem 15: Esse é o Saco do Eustáquio. Última noite de nosso cruzeiro foi aqui. Lindo, mas prepare-se. É a maior concentração de borrachudos por metro quadrado do planeta. Arrego!!! Fomos recepcionados e despedidos por uma comissão enorme deles. Muito bonito, mas não é qualquer repelente que resolve. Sabemos que Ilhabela é conhecida por seus borrachudos, mas na parte do Canal está milhares de vezes melhor do que anos atrás. Em compensação aí... parte do problema está na sujeira que se acumula. Precisam construir um incinerador para queimar os lixos eliminando criadoros.




Imagem 16: De noite é assim. Só com o radar. Aqui estamos no Saco das Palmas, em Ilha Anchieta. A noite no mar é fascinante e demonstra a loucura ou valentia dos primeiros navegantes. Absoluta escuridão. Você perde completamente as referências, inclusive do mar. Só mesmo com o GPS, para te mostrar por onde está navegando e o radar para evitar encontros indesejados.

Mas que é apaixonante, isso é... até mais e,


Boa navegação à todos!

Capitão Gutemberg
Comandante da Embarcação