sábado, 15 de outubro de 2011

Fast Trawler de 21 pés

Diário de Bordo em 09 de outubro de 201
(A bordo da Odyssey - Lat -23°54'0,3204"S; Lon -46°11'28,928"W)


Hoje recebi um e-mail do Engenheiro Câmara, proprietário da Cia Câmara, um estaleiro em Novo Hamburgo/RS. Ora, se eu posso iniciar um Grupo de Escoteiros do Mar longe do mar, por que ele não pode construir um estaleiro assim também.

Aliás, para quem não sabe, existem diversos renomados estaleiros longe do mar. Em Indaiatuba existe um e em Hortolândia outro, do amigo Flávio (http://www.flab.com.br/). Visite o site.

O Câmara fabrica sob licença um trawler que faz parte do meu inventário de sonhos de consumo e claro fica por conta do planejamento financeiro. É o Latitude 49 em alumínio naval com as mais modernas técnicas de construção do mundo. Ele está num novo projeto, onde irá construir um fast trawler de 21 pés, também em alumínio naval, conforme descreve no e-mail abaixo que poderão ler.


Caro Gutemberg,

Estamos desenvolvendo um projeto para uma embarcação de pesca e passeios de pequeno porte. Trata-se de um FAST-TRAWLER com 21 pés todo em alumínio, pequena cabine, com acomodação para 6 pessoas dia e 2 noite, rebocável, com calado de 0,52 m e uso de motor de popa. Já que o amigo é fã de embarcações e de pesca, gostaria de saber sua opinião a respeito, assim como seu parecer. Este projeto, embora pequeno, traz toda a tecnologia aplicada em embarcações de maior porte. Segue abaixo o desenho inicial.

Aguardo seus comentários, acredite, sua opinião é muito valiosa para nós.

Ótimo final de semana,

Eng° Câmara
Diretor Presidente - CEO
Cia. Câmara Construções Navais
Tel.: +55 51 3035-5080
Rua Santarém, 205
Novo Hamburgo/RS


Gostaria de fato ser merecedor de emitir um parecer. Sou apenas um apaixonado por barcos. Deve haver muitos como eu ou mais. O próprio Câmara, Flávio e tantos que vivem deles - ou neles.

Não desisti de meu sonho de ainda morar em um. Senão em tempo integral, boa parte dele. Tudo são planos mas vendo e lendo sobre tantas pessoas que também sonhavam com isso e realizaram esse sonho, vejo que o que me falta de verdade é c o r a g e m apenas.

Continuando com as conversas com o Engenheiro Câmara, retribui ao email acima dando agumas sugestões e perguntando se poderia falar um pouco de seus barcos aqui.

Ele respondeu:

Caro Gutemberg,

Agradeço muito sua resposta e, saiba que nossa intenção em consultar algumas pessoas foi realmente séria. Nosso estaleiro é pequeno, mas sempre pautamos por tecnologia e seriedade. Provavelmente por estas razões não sejamos o estaleiro que mais produz num país como o nosso.

Vi seu blog e gostei muito, obviamente que você está autorizado a divulgar sobre nossas embarcações a vontade.

Todas as suas observações foram anotadas, algumas serão usadas, outras poderiam inviabilizar nossa intenção inicial, que é produzir um barco pequeno, rebocável, marinheiro e principalmente de baixo custo. Inicialmente o PPS (preço público sugerido) está girando na casa dos R$ 85.000,00 (oitenta e cinco mil reais) já com motorização de 115 Hp OUT-BOARD, eletrônico básico (fishfinder combo) e rádio VHF, com banheiro fechado, WC hidráulico, cama em V na proa e carreta rodoviária. Os tanques (água e combustível) serão colocados abaixo do piso de convés, assim como uma caixa “viveiro”. Existe espaço e possibilidade de transformarmos alguns compartimentos estanques, inclusive com injeção de poliuretano espandido como forma de estanquedade, portanto já usaremos uma de suas sugestões.

Eu não tinha conhecimento que sua intenção com o L49 era navegar em regiões polares, se soubesse disto, teria te ofertado ele de forma diferente, ou seja, diminuiria o requinte a bordo e tornaria ele mais parecido com um veleiro (soluções inteligentes). Desculpa a franquesa, mas as pessoas gostam de brincar de casinha, velejadores são mais práticos e precisam de soluções mais adequadas e simples, mesmo que isto tire um pouco do glamour.

Enfim, se tiveres interesse em iniciar esta obra, poderemos juntos desenvolver um programa de necessidades e a partir disto formatar um preço justo e um prazo factível para teu orçamento.

Mais uma vez agradeço tua atenção.

Um abraço

Câmara
Diretor Presidente - CEO

Cia. Câmara Construções Navais
Tel.: +55 51 3035-5080
http://www.ciacamara.com.br/
Rua Santarém, 205
Novo Hamburgo/RS




OBS: em amarelo destaco a autorização do Câmara para falar sobre seus barcos e também que gostou de uma das sugestões que fiz.
 
Na verdade, coloquei que depois que fui para a Antártica dentro de um veleiro de aço com alta capacidade estanque e que conheci outro veleiro maior que o Kotic, chamado MARIE PÔRLES (um veleiro de aço de dois mastros com 70 pés e 70 ton) que capotou tres vezes, perdeu os mastros e tudo o que havia no convés superior e não afundou por ser estanque - tudo isso no Atlântico em frente ao Mar del Plata, entrando para o Uruguai - passei a dar maior atenção a isso.
 
As lanchas são muito gostosas de se navegar, mas trazem muita insegurança com relação a tempo ruim. Tive poucas experiências sobre isso, uma ou duas que creio estão narradas aqui no blog e não gostei. Quem já pegou onda de popa sabe do que estou falando...
 
Barcos para mar grosso deve ter mais estanqueidade. Ai pergunto: você sabe quando Netuno vai decidir mostrar as pontas de seu tridente para você? Pois é, por isso estar sempre preparado faz toda diferença.
 
Toda embarcação - creio eu - foi feita para flutuar. É o princípio de sua existência. E são testadas à exaustão em modelos de prova para conseguir isso, por isso a questão da estabilidade deve ser levada tão a sério. As vezes vejo algumas embarcações que foram nitidamente 'aumentadas' em tamanho ou em número de convéses e fico me perguntando se aquilo está dentro desse princípio. De qualquer forma, nenhuma embarcação está completamente isenta de mais cedo ou mais tarde pegar um mar virado e ai a coisa fica meia sem graça. Se você tem um passadiço de comando ou um pilot house e pode se trancar dentro do barco, sabe que no máximo que poderá acontecer (estando longe das costas e ilhas) será dar algumas cambalhotas e depois contabilizar os prejuízos, mas estará VIVO para isso. Se a embarcação afundar por entrada de água e você não tiver sido rápido suficiente para soltar a balsa salva-vidas ou bote auxiliar, pode entrar para a estatística. Pense nisso.
 
Não é que por ser estanque vamos nos aventurar por ai enfrentando o "Mar em Fúria" de sua vida, pelo contrário. Se a meteorologia informar tempo desfavorável para navegação, melhor ficar em segurança e esperar o tempo melhorar, mas se for 'surpreendido" ao final de um passeio e no meio de uma navegada, milagre não vale. Vai ter que terminá-la e é preferível que seja em segurança.
 
Como disse, o Eng Câmara tem licença de fabricação de um trawler de tamanho médio chamado LATITUDE 49 (http://www.ciacamara.com.br/) entre outros. São fabricados em alumínio naval com toda a tecnologia necessária. São lindos e confortáveis.
 
Agora está construíndo uns pequenos fast trawlers de 21 pés também em alumínio que serão uma sensação, pois trará um conjugado de velocidade, pois terá motor de popa de 115 Hp, cabine para pernoite de duas pessoas, com banheiro isolado aliado a alta resistência. E olhem o valor provável de venda... bem competitivo pelas qualidades apresentadas.
 
Pescadores de plantão... vem ai uma baita solução para seus passeios de pescas.
 
Boa sorte Câmara, e...
 
Boa navegação a todos!

Capitão Gutemberg.
Comandante da Embarcação Odyssey.