quarta-feira, 23 de julho de 2008

Navegar é preciso, mas segurança...

Desde de que adquirimos a embarcação Carbras Mar 32, que se chamava "Benhê", tivemos a oportunidade de providenciar melhorias para assegurar a segurança necessária no mar. O RIPEAM e os demais regulamentos da Marinha Brasileira nos indicam uma série de medidas para garantir que sua navegação seja apenas momentos de grande alegria e de felizes lembranças.





Nem sempre é assim. Existem proprietários que por uma razão ou outra teimam em economizar em detalhes que aumentam o risco na navegação, expondo a vida de seus convidados, amigos, de seu marinheiro, que se vê obrigado a se arriscar por exigências do "patrão" e a sua própria vida.









Muitas vezes esses riscos acontencem por medidas ou fatos fora de nosso controle. Recentemente, na região do Canal de Bertioga houve dois incêndios em embarcações. Uma tivemos o desprazer de presenciar. Uma embarcação Cobra 32 se incendiou na foz do canal, do lado do oceano. Chegamos a acelerar para o local no intuito de responder ao sinal de socorro feito pela rede-rádio. Graças a Deus embarcações mais próximas garantiram o socorro das 11 pessoas que estavam a bordo e que se atiraram ao mar.









Outra embarcação que se incendiou, foi uma conhecida nossa e de um amigo, chamada Triana (ao lado), que chegamos a iniciar uma negociação para aquisição, mas acabou não dando certo. A Triana é uma Carbras Mar 48', que se incendiou dentro da marina onde ficava. Não tive a oportunidade de conversar com seu proprietário, então não vou emitir parecer do que poderá ter ocorrido.



Não raras vezes, vemos passar pelo canal de Bertioga grandes embarcações em alta velovidade, bem acima dos 7 nós determinado pelo regulamento para navegação em águas interior, como o Canal. Me parece que esses "Comandantes-de-fim-de-semana" nem conhecem essa regulamentação, e após um lauto almoço regado a algumas (diversas) "biritas" saem com suas máquinas à toda.



Infrutiferamente as marinas do Canal fazem soar suas sirenes em protesto à alta velocidade, tentando alertar o dito "Comandante" que acima dos 7 nós, sua embarcação que está deslocando 4, 5 as vezes 10 toneladas irão causar verdadeiros tsunamis nas margens, causando danos e avarias nas embarcações atracadas...é uma pena!



De qualquer forma, desde que assumimos o camando da ex-Benhê e agora Rei dos Reis, temos tido grandes oportunidades de alegria (mas nem tudo é alegria, claro!). Veja o vídeo abaixo onde o Felipe faz um Jet boat de carona na Rei dos Reis. Foi só diversão. Dele que estava no bote e nossa que rimos a beça da cara dele...de medo...rs.




video







Outra coisa a se considerar são aquelas imagens que só se consegue ver estando onde só se pode estar de barco...cada pôr-de-sol...colocarei as imagens em outra postagem para não carregar demais esta.

Se tenho visto algumas coisas que me desagradam por parte de proprietários, tenho também tido a oportunidade de conhecer outras fantásticas, como o nosso amigo Roberval, comandante da Blue All e Pesca Light, Eugênio da Baependi, Edu e Marquinhos da...era uma Carbras Mar chamada Shilton agora mudaram de embarcação para uma Mares que se chama...Favela rsrsrs, isso mesmo, eles sabem o que fazem ao colocar nome em embarcação rs. Esse pessoal é muito rigoroso na manutenção e na equipagem de suas embarcações. Sempre aprendo algo com eles.


Fica o convite para os leitores de adquirirem uma embarcação. Não importa muito o tamanho ou modelo, desde de que proporcione segurança para você e seus convidados, além claro da comunidade náutica local. Você passará a ter contato com pessoas e ambientes que interagem mutuamente.


Então é isso, boa navegação...







Capitão Amador Gutemberg
Comandante da embarcação Rei dos Reis